Home

CONHEÇA A EXTRACREDI

A EXTRACREDI - Extremo Oeste Agência de Crédito é uma instituição que financia micro e pequenos negócios.

CLASSIFICADOS

EVENTOS

Mantenha-se atualizado e fique atento aos eventos relacionados, que acontecem em Santa Catarina, no Brasil e o Mundo.

TRABALHE CONOSCO

CASOS DE SUCESSO

Pessoas Empreendedoras e Empresas que se mantiveram parceria com a EXTRACREDI, contam suas histórias vencedoras.

COTAÇÕES FINANCEIRAS

Notícias Financeiras


    • Entre os que recebem nesta quarta estão 1,6 milhão de trabalhadores do Bolsa Família, que recebem a terceira parcela de R$ 300. A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta quarta-feira (25) mais uma parcela do Auxílio Emergencial a 5,4 milhões de trabalhadores. Aos trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, o pagamento já é referente à 3ª parcela de R$ 300 do benefício. Nesta quarta, recebem 1,6 milhão de trabalhadores cujo número do NIS encerra em 7. Entre os demais trabalhadores, estão 3,6 milhões que vão receber uma parcela do Auxílio Emergencial extensão, de R$ 300. Outros 200 mil ainda vão receber alguma das parcelas de R$ 600. Os pagamentos desta quarta são para nascidos em março. Veja o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial Veja como serão os pagamentos de R$ 300 e tire dúvidas Saiba como liberar a conta bloqueada no aplicativo Caixa Tem Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Confira as datas para o pagamento da nova fase do Auxílio Emergencial de R$ 300,00 Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, a ajuda paga nesta quarta será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta quarta serão liberados no dia 4 de janeiro (veja nos calendários mais abaixo). VEJA QUEM RECEBE NESTA QUARTA: 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, cujo número do NIS encerra em 7, recebem a 3ª parcela de R$ 300 200 mil trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em março, recebem a próxima parcela de R$ 600: - aprovados que já receberam 4 parcelas recebem a quinta parcela; - aprovados que já receberam 3 parcelas recebem a quarta parcela; - aprovados que já receberam 2 parcelas recebem a terceira parcela; - aprovados que já receberam 1 parcela recebem a segunda parcela. 3,6 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em março, recebem a próxima parcela de R$ 300: - trabalhadores que já receberam as 5 parcelas de R$ 600 recebem a primeira de R$ 300 - trabalhadores que já receberam 1 parcela de R$ 300 recebem a segunda parcela de R$ 300 - trabalhadores que já receberam 2 parcelas de R$ 300 recebem a terceira parcela de R$ 300 Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br. Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial - Beneficiários do Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Clique aqui para ver o calendário completo dos pagamentos VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial l

    • Lei do Saneamento Básico prevê 99% da população atendida por água potável e 90% atendida por esgoto até 2033. O Brasil precisa chegar a 2033 com 99% de sua população atendida com água tratada e com 90% coleta e tratamento de esgoto. Essas metas fazem parte da Lei do Saneamento Básico, sancionada em julho. Para serem atingidas, no entanto, 24 estados precisam ampliar seus investimentos em saneamento básico, segundo levantamento do Instituto Trata Brasil. No Plano de Saneamento Básico (Plansab), promulgado em 2013, metas similares previam investimentos de R$ 148 bilhões em abastecimento de água e R$ 224 bilhões em esgotamento sanitário ao longo de 15 anos, totalizando R$ 373 bilhões - cerca de R$ 24,9 bilhões por ano. Em 2018, no entanto, esse valor ficou em R$ 13,1 bilhões. De acordo com o estudo, que usou dados de investimento e atendimento de água e esgoto do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), a meta de investimento do Plansab e do diagnóstico realizado pelo consórcio formado pela Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto e a companhia holandesa Klynveld Peat Marwick Goerdeler (ABCON-KPMG) em 2019, mantido o atual patamar anual de investimento, apenas o Distrito Federal, São Paulo e Paraná atingirão as metas. As três unidades da federação já têm os serviços quase universalizados. A necessidade de ampliação de investimentos é maior no Amapá: no estado, o estudo estima que o investimento precisa ser ampliado em 18,43 vezes para atingir a meta de universalização até 2033, passando dos R$ 6 milhões anuais investidos em média entre 2014 e 2018 para R$ 141 milhões. Saneamento básico Economia G1 Outros 16 estados também têm média de investimentos muito abaixo da prevista para que a meta seja atingida: Acre, Ceará, Piauí, Maranhão, Rondônia, Pará, Amazonas, Goiás, Bahia, Tocantins, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraíba e Alagoas. Em sete estados, o estudo aponta que a média histórica de investimentos é relevante, mas abaixo do previsto para a universalização: Pernambuco, Roraima, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Sergipe. Queda nos investimentos O estudo mostrou que os investimentos anuais necessários à universalização pelo Planslab nunca foram cumpridos. Em 2014, ano com maior investimento total em água e esgoto, foram investidos (em valores atualizados) R$ 14,2 bilhões - 57% do necessário. Já entre 2014 e 2018 houve redução de 12,3% nos investimentos totais em água e esgoto no Brasil. O nível de investimento em abastecimento de água no ano de 2018 foi de R$ 5,7 bilhões, 7,1% inferior ao investimento em 2014. No mesmo período, o investimento em abastecimento de esgoto regrediu 30,9%. Assista as últimas notícias de economia
    • Segundo Bento Albuquerque (Minas e Energia), MP será publicada 'a qualquer momento'. Expectativa era que Bolsonaro assinasse medida no sábado, em Macapá, o que não aconteceu. Isenção do pagamento de luz para moradores do AP sai nesta semana, diz ministro O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta terça-feira (24) que a medida provisória (MP) que isentará os moradores do Amapá do pagamento da conta de luz será publicada "com certeza" nesta semana. Nesta terça, Albuquerque se reuniu com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, e com o diretor-presidente da Eletronorte, Roberto Parucker, para tratar da situação no Amapá. O estado enfrenta uma crise no abastecimento de energia elétrica desde o início do mês, quando um incêndio atingiu a principal subestação do estado, causando apagão em 13 dos 16 municípios amapaenses. Os reflexos do incidente se estenderam por três semanas. Ao deixar a sede do ministério, na noite desta terça, o ministro de Minas e Energia foi questionado pelo G1 se a medida provisória será editada. "A qualquer momento", respondeu Albuquerque. Indagado, então, se ainda nesta semana, respondeu: "Com certeza." A assinatura da medida provisória era esperada para o último fim de semana, quando o presidente Jair Bolsonaro visitou o estado. Entretanto, a MP ainda não foi publicada. Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no "Diário Oficial da União". Precisam, no entanto, de aprovação pelo Congresso Nacional para se tornar leis em definitivo. Aporte de R$ 80 milhões da União deve bancar isenção da tarifa dos moradores do Amapá O que a MP deve prever De acordo com a GloboNews, a MP vai prever um aporte de R$ 80 milhões do Tesouro Nacional na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Esse montante deverá assegurar a isenção de conta de luz durante um mês para os moradores do Amapá. Além desse aporte da União, haverá outro custo, que, segundo a GloboNews, será pago por todos os consumidores de energia elétrica do país, o custo da contratação emergencial de usinas térmicas, deslocadas ao Amapá para auxiliar no fornecimento. Fornecimento de energia do Amapá é normalizado após três semanas Fornecimento restabelecido Na madrugada desta terça-feira, o fornecimento de energia no estado foi estabelecido. Segundo o ministro Bento Albuquerque, 100% da carga está sendo atendida. O Ministério de Minas e Energia, porém, diz que há registros de desligamentos isolados na capital Macapá. "O fornecimento está garantido. A partir de hoje, 3h30, 100% da carga, como já havia sendo atendido já no final de semana. Mas, hoje, nós podemos dizer que foi restabelecida as condições que estavam no dia 3 de novembro, além disso, temos a geração termoelétrica que foi contratada para servir de segurança para o fornecimento de energia ao estado, disse o ministro. Questionado se assegura que não haverá novos apagões nos próximos dias no Amapá, o ministro disse não ter condições para garantir isso. "Não depende de mim. Se dependesse de mim, não teria ocorrido, mas nós estamos trabalhando para que o estado do Amapá, como qualquer estado da federação, tenha segurança energética que o sistema integrado nacional foi feito para isso", declarou. Entenda o apagão no Amapá em 8 pontos Análise Ouça o episódio do podcast O Assunto sobre o apagão no Amapá: Initial plugin text

Parceiros

AMCRED-SUL BADESC BNDS JUROZERO MICRO CREDITO SOCIAL

MICROCREDITO DE SANTA CATARINA