Home

CONHEÇA A EXTRACREDI

A EXTRACREDI - Extremo Oeste Agência de Crédito é uma instituição que financia micro e pequenos negócios.

CLASSIFICADOS

EVENTOS

Mantenha-se atualizado e fique atento aos eventos relacionados, que acontecem em Santa Catarina, no Brasil e o Mundo.

TRABALHE CONOSCO

CASOS DE SUCESSO

Pessoas Empreendedoras e Empresas que se mantiveram parceria com a EXTRACREDI, contam suas histórias vencedoras.

COTAÇÕES FINANCEIRAS

Notícias Financeiras

    • Prazo termina no dia 30 de abril e não haverá prorrogação. Expectativa da Receita Federal é de que 530 mil declarações sejam entregues no estado. A poucos dias do fim do prazo, metade dos contribuintes do ES ainda não declararam IR No Espírito Santo, cerca de 310 mil contribuintes entregaram a declaração de Imposto de Renda até esta terça-feira (24). O prazo termina no dia 30 de abril. A expectativa da Receita Federal é de que 530 mil sejam entregues, o que significa que ainda falta mais de 40% da população capixaba. Em todo o Brasil, até às 17h desta terça, 17.604.838 declarações foram recebidas pelos sistemas da Receita. De acordo com o supervisor nacional do IR, Joaquim Adir, é esperado que 28,8 milhões de contribuintes entreguem a declaração. Para preencher a declaração, é preciso baixar o programa gerador no site da Receita Federal. Clique aqui para baixar. Se preferir, o contribuinte pode prestar contas por meio de aplicativos em tablets e smartphones. SAIBA TUDO SOBRE IMPOSTO O DE RENDA 2018 O contribuinte que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo fica sujeito ao pagamento de multa de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo correspondente a 20% do imposto devido. Quem deve declarar? Delegado da Receita Federal tira dúvidas sobre a declaração do imposto de renda Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2017. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. Também deve declarar: Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; Quem obteve, em qualquer mês de 2017, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; Quem teve, em 2017, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; Quem tinha, até 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2017. Quem optar pelo declaração simplificada abre mão de todas as deduções admitidas na legislação tributária, como aquelas por gastos com edudação e saúde, mas tem direito a uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitada a R$ 16.754,34, mesmo valor do ano passado. Como declarar? Imposto de Renda: veja passo a passo como fazer a declaração Segundo o Fisco, a declaração pode ser elaborada de três formas: computador, por meio do Programa Gerador da Declaração (PGD) IRPF2018, disponível no site da Receita Federal do Brasil na internet; dispositivos móveis, tais como tablets e smartphones, por meio do serviço “Meu Imposto de Renda”, acessado pelo aplicativo “Meu Imposto de Renda”, disponível também a partir desta quinta-feira no Google play, para o sistema operacional Android, ou na App Store, para o sistema operacional iOS; computador, mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), com o uso de certificado digital, e que pode ser feito pelo contribuinte ou seu representante com procuração eletrônica. Para a transmissão da declaração não é necessário instalar o programa de transmissão Receitanet, uma vez que essa funcionalidade está integrada ao programa do IR deste ano, informou o Fisco. Entretanto, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão. Não é mais permitida a entrega do IR via disquete nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. A entrega do documento via formulário foi extinta em 2010. VEJA OS LIMITES DE DEDUÇÕES NO IMPOSTO DE RENDA 2018 Restituições Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, receberão mais cedo as restituições do Imposto de Renda, se tiverem direito a ela. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade. As restituições começarão a ser pagas em junho, e seguem até dezembro, para os contribuintes cujas declarações não caírem em malha fina. Novidades na declaração do IR de 2018 Uma das novidades do Imposto de Renda neste ano é que serão exigidos CPFs para dependentes incluídos na declaração com 8 anos ou mais. Em 2017, o CPF havia passado a ser obrigatório para crianças a partir de 12 anos. A redução da idade visa evitar que a declaração caia na malha fina, "possibilitando maior rapidez na restituição do crédito tributário", informou o Fisco. A partir de 2019, a obrigatoriedade será para todos os dependentes, de qualquer idade. De acordo com a Receita, o programa de declaração neste ano também vai pedir aos contribuintes mais dados sobre seus bens declarados, entre eles endereço de imóveis, sua matrícula, IPTU, e data de compra, além do número do Renavam de veículos. O contribuinte, porém, não será obrigado a fornecer essas informações. A partir deste ano também será possível retificar as declarações enviadas por meio de dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Para isso, entretanto, é necessário que declaração original tenha sido enviada do mesmo aparelho. Imposto a pagar O contribuinte que tiver imposto a pagar poderá dividir o valor em até oito cotas mensais, mas nenhuma delas pode ser inferior a R$ 50. A primeira cota, ou a única, deve ser paga até 30 de abril e, as demais, até o último dia útil de cada mês, acrescidas de juros. O pagamento integral do imposto, ou de suas cotas e dos acréscimos legais, pode ser efetuado mediante: transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos dos bancos; Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), em qualquer agência bancária; ou débito automático em conta-corrente.

    • Banco lucrou R$ 2,8 bilhões no período; receitas totais somaram R$ 14,298 bilhões. O lucro líquido do Santander Brasil atingiu R$ 2,8 bilhões no primeiro trimestre, um crescimento de 54% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pelo banco nesta terça-feira (24). No primeiro trimestre de 2017, o banco Santander teve seu lucro reduzido por uma tributação de R$ 872 milhões sobre investimentos no exterior e a amortização do ágio da aquisição do banco Real, fatores que não foram contabilizados no lucro gerencial.  Em relatório, o Santander informou que continua vendo 2018 como um ano de retomada da economia brasileira diante do quadro de queda de juros e baixa inflação. "Em linha com esse cenário de crescimento, observa-se também sinais claros de recuperação nos mercados de crédito e trabalho, ainda que a um ritmo moderado, neste primeiro momento", disse o banco. O lucro gerencial, que exclui fatores extraordinários do ano fiscal, alcançou R$ 2,85 bilhões nos primeiros três meses de 2018, uma alta de 25,4%. Esse resultado exclui, por exemplo, a proteção financeira feita pelo banco (hedge) contra a variação cambial. Apesar de não ser aceito como indicador de lucro pela regra contábil brasileira, esse indicador é usado por investidores para entender o resultado do banco sem fatores extraordinários. As receitas totais do banco somaram R$ 14,298 bilhões no período, avanço de 13,7% em doze meses e de 4,1% em três meses. Agência do Banco Santander em Campinas Reprodução EPTV Carteira de crédito A carteira de crédito total somou R$ 280,398 bilhões no final de março, aumento de 9,0% em doze meses. Em três meses, a alta foi de 2,9%. O banco atribui o crescimento da carteira de crédito "acima do sistema" ao aumento do crédito para pessoa física e financiamento ao consumo. Segundo o banco: O crédito para pessoa física cresceu 5,2% ante os três meses anteriores O financiamento ao consumo avançou 4,1% no período Inadimplência A taxa de inadimplência acima de 90 dias atingiu 2,9% em março de 2018 e ficou estável na comparação com o mesmo período do ano passado. Em relação aos três últimos meses, houve uma queda de 0,2 ponto percentual. "Essa redução (da inadimplência) decorre da resolução, nesse trimestre, do caso pontual no segmento de grandes empresas, que havia impactado este indicador no quarto trimestre de 2017", informou o banco. Receitas de prestação de serviços As receitas de prestação de serviços e tarifas bancárias somaram R$ 4,134 bilhões nos primeiros três meses do ano, uma alta de 11,5% em 12 meses. Na análise detalhada, a receita de cartões e serviços adquirente foi a principal e somou R$ 1,360 bilhão. Na sequência, apareceram os serviços de conta corrente (R$ 798 milhões). Receitas de prestação de serviços Resultado em 2017 O banco teve em 2017 um lucro líquido 44,5% maior no Brasil, somando R$ 7,99 bilhões. O valor foi impulsionado pelo aumento de receitas no país. Segundo o Santander, o resultado de 2017 foi o melhor da história para o banco. As receitas do banco somaram R$ 52,9 bilhões em 2017, um avanço de 18,3% em relação a 2016. O crescimento se deve ao aumento das margens financeiras, dos spreads (diferença entre custo de captação de recursos e taxas cobradas nos empréstimos) e das comissões.

    • Levantamento do Santander comparou os preços em dólar em vários países e constatou que o pacote é o mais barato no Brasil; Suíça tem as figurinhas mais caras. Álbum de figurinhas da Copa do Mundo 2018, da Panini Pier 21/Divulgação As figurinhas do álbum da Copa do Mundo vendidas no Brasil são as mais baratas do mundo, pelo preço em dólar, mostrou um estudo divulgado pelo banco Santander nesta terça-feira (24). Enquanto no Brasil o pacote com cinco unidades custa US$ 0,59 (ou R$ 2, pela conversão atual aproximada), na Suíça ele sai por US$ 1,80, o mais caro do mundo (confira no gráfico os preços das figurinhas em todos os países). Na prática, as figurinhas no Brasil são vendidas por menos de um terço do valor cobrado aos suíços. “No geral, as figurinhas são mais baratas nos países da América Latina e mais caras na Europa, especialmente no Leste Europeu (considerando os níveis de renda da população), conclui o estudo. Para fazer o estudo, o economista Luciano Sobral fez uma comparação semelhante ao índice Big Mac, divulgado pela “Economist”. Este índice compara os preços do lanche mais popular no Mc Donald’s e serve para medir o poder de compra da população. “Como os Big Macs, as figurinhas da Copa, vendidas desde 1970 pela editora Panini, são altamente padronizadas e globalizadas e, por isso, em teoria poderiam ser úteis para medir a paridade do poder de compra (PPA)”, escreveu o economista no estudo. O desvio médio nos preços das figurinhas no mundo em relação aos preços nos EUA é de 25,8%, próximo ao do Big Mac, de 27,8%. Preço e renda Segundo o estudo, a correlação entre os preços e a renda da população (medida pelo PIB per capita em dólar) é bem mais fraca no caso das figurinhas do que no exemplo do Big Mac. Essa divergência aparece principalmente entre os países latinos e os do leste europeu, que apesar de terem nível de renda parecido, têm preços bem distantes das figurinhas. "Em parte, acreditamos que isso tem relação com o custo da mão de obra, que provavelmente não é determinante no preço das figurinhas, diferentemente dos sanduíches, elas podem ser feitas em menos unidades de produção e transportadas sem perda na qualidade", diz Sobral. O estudo do Santander diz que não tem os motivos de os preços serem mais baixos na América Latina e pode tratar-se apenas de uma "estratégia diferente de preços" nestes mercados.

Parceiros

AMCRED-SC BADESC BNDS JUROZERO MICRO CREDITO SOCIAL MICROCREDITO DE SANTA CATARINA MICROMOB POLOCRED